Luiz Hermano

Luiz Hermano

Luiz Hermano, nasceu em 1954, em Preaoca, município de Cascavel, no Ceará. No inicio dos anos 70 estudou filosofia na Universidade Federal do Ceará. Começou sua trajetória artística em 1977. Em 1979, já na cidade do Rio de Janeiro, cursou gravura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.

Transferiu-se para São Paulo e realizou a mostra Desenhos, no MASP.

Em 1980 editou o álbum de gravuras intitulado O Universo e dedicou-se à pintura e desenvolveu sua carreira internacional. Em 1984, ao receber o Prêmio Chandon, foi para Paris, onde realizou exposição individual na Galeria Debret. Em 1983, participou da 5ª Bienal Internacional de Seul e da 2ª Bienal Pan-Americana de Havana, em 1986. Em 1987 expôs pinturas na 19ª Bienal Internacional de São Paulo e esculturas na 21ª edição do evento, em 1991. Nos anos 90, realizou obras tridimensionais utilizando materiais diversos. Apresentou em 1994, a mostra Esculturas para Vestir, no MAM-SP.

Em 2005, participou da exposição Discover Brazil, no Ludwig Museum, Koblenz, na Alemanha. Em 2008, realizou a exposição Templo do Corpo, na Pinacoteca do Estado de São Paulo, quando publicou o livro: Luiz Hermano. Possui trabalhos monumentais em diversos espaços públicos: em São Paulo, nos jardins do MAC-USP, Cidade Universitária; no metrô Estação República e nos jardins do MAM-SP. Em Recife, Pernambuco, a obra Mandacaru, medindo 7 metros, encontra-se exposta no Museu Cais do Sertão. Em 2018 realizou em São Paulo, no Sesc Santo Amaro, a instalação Trapézios que é origem do álbum XI Teoremas, também lançado neste ano. Em 2019 realiza a individual intitulada Cura-pinturas e objetos na Galeria Lume com curadoria de Paulo Kassab. Também em 2019 lança seu segundo livro. Em 2021 participa da coletiva 50 Duetos,com a curadoria de Denise Mattar, no Espaço Cultural Unifor.