Bené Fonteles. Preáoca. Publicado no folder da exposição na Galeria Laila Zahran, Fortaleza, CE – 1983 -

Hermano nasceu lá no ceará em “préaoca”, lugar que quer dizer em tupi-guarani: “casa dos preas”.

Suas gravuras, aquarelas, desenhos e mesmo as pinturas, representam um dos tra­balhos gráficos mais importantes e mágicos feitos por um artista jovem neste pais.

São obras como ele mesmo diz: frutos da pré-história de sua própria vida, infân cia no mato, descobrindo bichos nas locas': eram cachorros, bodes e cabras, cobras, va cas e bois, porcos, cavalos e préas que pe gava nas arapucas. todas lembranças codifi cadas se juntando a mitologia universalT faunos, duendes, sargitários e sereias, co mo numa infinita lenda.

Mescla-se tudo à cultura ancestral, num resultado de muita beleza, de uma for­ça emotiva imaginaria de apurada qualidade técnica.

Na sua pintura o uso da cor é manifes tado com grande liberdade, quase infantil;” em formas todas suas, pois hermano é um ar tista que encontrou e amadurece com lucidez a linguagem figurativa, como forma de avivar e lançar direto nossa imaginação den tro da plena fantasia, imprescindível tam­bém para viver com arte.

Hermano nos coloca na nossa “préaoca” interior, nos povoando o olhar espiritual, das encarnações da matéria orgânica de seus sonhos com todas as formas, num mundo doido de tantas cores.

É o artista ainda intuindo, explodin­do em gestos parecidos ao do criador, aquele que tudo fez por natureza, com sabor de arte.