Alberto Beuttenmüller. Luiz Hermano: gravura em metal. Publicado no folder da exposição no Museu de Arte Assis Chateaubriand, MASP – 1981

O traço de Hermano é a sua personalidade. Tímido, por natureza, o artista cearense só sabe dizer com sua riscadura, com suas ilustrações de uma realidade pânica, onde personagens mitológicos passeiam por sobre seus sonhos bucólicos. Mas, repito, é no seu traço que nossos olhos param e reparam, numa solene desconfiança de que estamos caindo numa armadilha, uma armadilha plástica de uma estética caótica e semiótica, combinada com cores de um mundo infantil e cruel.