Alberto Beuttenmüller. Cor/Pigmento /Luz. Publicado no folder da exposição na Arte Galeria, Fortaleza, CE – 1984

Luiz Hermano lançou-se em busca das raízes da cor: o pigmento.

Com a própria terra, Hermano faz sua alquimia, recuperando do solo a alcalinidade ou a razão ácida de sua pigmentação.

Na temática atual de suas pinturas, Hermano optou por uma colocação semelhante à pintura rupestre, numa espécie de caminhar ao revés. Fazendo seu pigmento e criando sua própria mitologia rupestre, Hermano recoloca o problema da magia da pintura, deixando de lado o racionalismo, o intelectualismo, que parece afastar, ainda mais, as pessoas do objetivo artístico. Para isso basta usarmos de sensibilidade e de amorosidade, utilizando o nosso terceiro olho, aquele que encherga sem ver.